vexilologia, heráldica e história

19
Fev 11

Através da Portaria nº 21 447 de de 6 de Agosto de 1965 do Ministério das Finanças, foram aprovados os modelos de guiões das várias formações da Guarda Fiscal (GF).

 

Estes modelos de guiões estiveram em vigor até à altura da extinção da Guarda Fiscal como corpo independente e a sua integração na Guarda Nacional Republicana como Brigada Fiscal.

 

Os modelos de guiões das unidades da Guarda Fiscal apresentavam muitas semelhanças com os modelos estabelecidos para os vários comandos da Polícia de Segurança Pública em 1958. Essencialmente, foram estabelecidos dois modelos, um para o guião do Comando-Geral e outro para os guiões dos batalhões e companhias independentes.

Guião do Comando-Geral

O guião do Comando-Geral da Guarda Fiscal consistia num quadrado de tecido azul marinho com as dimensões de 0,7 m x 0,7. Ao centro tinha uma Bandeira Nacional, contornada por um vivo de ouro. No cantão superior junto à tralha tinha um emblema da Guarda Fiscal, consistindo numa estrela de 16 pontas, tendo ao centro um círculo carregado com o monograma GF, tudo de ouro. O guião tinha quatro passadores de azul marinho e cordões e borlas de azul claro e ouro.

 

Guião do Comando-Geral da GF

 Guiões das unidades

Os guiões das diversas unidades da Guarda Fiscal seguiam um modelo idêntico entre si. Consistiam numa bandeira quadrada, com as dimensões de 0,7 m x 0,7 m, com uma bordadura de azul marinho acantonada com quatro quadrados de branco, quatro passadores de azul marinho, cordões e borlas de outro e azul claro e haste e lança de prata. O campo variava de unidade para unidade e tinha ao centro um emblema da Guarda Fiscal, consistindo numa estrela de 16 pontas, tendo a centro um círculo carregado com um monograma GF envolvido por duas vergônteas de louros atadas, tudo de ouro.

 

Os quadrados brancos dos cantões da bordadura, nos guiões dos batalhões estavam carregados com um monograma consitindo num B e no algarismo árabe designativo do número do batalhão, tudo de ouro. Os quadrados dos guiões das companhias independentes estavam carregados com o monograma CI, com excepção do quadrado do cantão superior junto à tralha que estava carregado com o algarismo árabe designativo do número da companhia, tudo em ouro.

 

As cores e formatos dos campos dos vários guiões baseavam-se nas cores e formatos das bandeiras municipais das cidades onde as unidades tinham sede. Assim, o do Batalhão n.º 1 (Lisboa) era gironado de branco e negro, o do n.º 2 (Beja) gironado de vermelho e azul, o do n.º 3 (Porto) gironado de branco e verde, o da Companhia Independente n.º 1 (Funchal) gironado de branco e púrpura, o da n. 2 (Ponta Delgada) de amarelo, o da n.º 3 (Angra do Heroísmo) gironado de vermelho e amarelo e o da n.º 4 (Horta) de branco. 

 

Guião do Batalhão n.º 1 da GF

Guião da Companhia

Independente n.º 2 da GF

 Referências

  • Portaria nº 21 447 de de 6 de Agosto de 1965

 

JOSÉ J. X. SOBRAL 

publicado por audaces às 13:01

Olá! que legal esse blog! Estou estudando Português e, em seguida, desculpa meus erros! Virei visitá-lo
museo del prado a 7 de Março de 2011 às 21:38

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25
26

27
28


pesquisar
 
mais sobre mim
Novos visitantes desde 25 de Julho de 2009
free counters